Segunda, 13 de julho de 202013/7/2020
SAÚDE
PLANO DE CONTIGÊNCIA CORONAVÍRUS – COVID-19
Confira a íntegra do Plano de Contingência do Município de Divinolândia
Gerência de Comunicações Divinolandia - SP
Postada em 29/06/2020 ás 13h55 - atualizada em 10/07/2020 ás 19h22

  1. INTRODUÇÃO: A construção do Plano de Contingência do COVID -19 de Divinolândia pretende servir como instrumento de gestão das ações de saúde que serão desenvolvidas pelo município no período da pandemia.

  2. OBJETIVO: Preparar e organizar os serviços e os profissionais diante da conduta no atendimento e identificação dos casos suspeitos ou confirmados para conter a possível transmissão da doença.



  1. TRANSMISSÃO


As investigações sobre transmissão do novo coronavírus ainda estão em andamento.


A principal evidência é a transmissão de pessoa a pessoa e o vírus estão presentes em altas concentrações em secreções respiratórias, fezes e sangue de pessoa infectada.


Entre os humanos, o vírus pode ser transmitido principalmente pela via respiratória, por gotículas respiratórias, tosse e espirro em curta distância, ou pelo contato, seja contato direto com pessoa infectada, ou contato indireto com objetos ou superfícies contaminadas, em ambos os casos, com o contato seguinte das mãos com a boca, nariz ou olhos.


O período de transmissibilidade dos pacientes infectados é de 02 a 14 dias do início dos sintomas, com uma média de 07 dias.


4.PERÍODO DE INCUBAÇÃO


O período de incubação pode ser de 02 a 14 dias.


5.SINAIS E SINTOMAS


Nos casos mais leves podem parecer como gripes e resfriados comum, dificultando o diagnóstico. Sinais comum da infecção incluem febre, tosse, mialgia ou fadiga, coriza, expectoração e dificuldade respiratória. Em casos mais graves, a infecção pode causar pneumonia, insuficiência respiratória, síndrome respiratória aguda grave e até óbito.



  1. PLANO DE AÇÃO


6.1 Fluxo de atendimento dentro das Unidades de Saúde


6.1.1 Acolhimento a população



  • UBS (CSIII) Montada duas portas de entradas para atendimento de pacientes, sendo uma exclusivamente para sintomáticos respiratórios e outra para os demais atendimentos

  • Triagens serão realizadas em espaços separados pela equipe de enfermagem e somente encaminhada para consulta médica os casos extremamente necessários, dando prioridade para os sintomáticos, idosos, portadores de comorbidades, imunodeprimidos, gestantes e puérperas;

  • Durante o acolhimento se verificado que o usuário apresenta síndrome gripal, este deve ser conduzido com máscara cirúrgica para atendimento, no consultório destinado para este tipo de atendimento, verificar saturação de oxigênio e temperatura,

  • Em caso de admissão de mais de um usuário ao mesmo tempo na UBS, adotar as mesmas medidas e permitir que o mesmo aguarde em ambiente arejado e externo à UBS;

  • Os atendimentos deverão ser prioritariamente agendados com intervalo de 30 minutos de cada paciente, para realização de desinfecção das superfícies, após cada atendimento.

  • Os pacientes estão sendo orientados a comparecer à farmácia somente para retirada de medicamentos de uso contínuo, obedecendo a data da última retirada e entrar um paciente de cada vez para ser atendido, além de respeitar a distância demarcada pelo farmacêutico.

  • Acompanhantes: somente um, quando necessário;

  • Atendimento nutricional: será mantida entrega de suplementos e fórmulas infantis, os atendimentos de rotina estão suspensos temporariamente;

  • Atendimento Social: mantido o atendimento priorizando casos urgentes, e utilizando meios de comunicação, fone, para reduzir exposição do paciente e profissional;

  • Atendimento com mastologista: os exames poderão ser entregues para equipe de enfermagem na recepção, para posterior avaliação do Dr. Ray. Estão suspensos os atendimentos de pessoas acima de 60 anos, exceto os casos graves;

  • Plantão psicológico: suspensos temporariamente, a equipe está realizando tele atendimento e estão disponível para o atendimento de urgência na UBS.

  • Vacinação: segue calendário de vacinação normal e a Campanha contra Influenza, seguindo as recomendações do COVID-19;


6.2 MANEJO DE CASOS SUSPEITOS


6.2.1 TRIAGEM


Acolher e avaliar rapidamente todas as pessoas, independentemente da idade, que apresentem febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse seca, dor de garganta, mialgia, cefaleia, prostração, dificuldade para respirar e batimento das asas nasais, entre outros). Febre: temperatura corporal acima de 37,8 ºC, conforme verificação axilar e saturação de oxigênio.


Para as pessoas com os sintomas acima, em casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus, priorizar o atendimento, ofertar máscara cirúrgica imediatamente e isolar (acomodar a pessoa suspeita, em local destinado).


São considerados casos suspeitos de infecção humana pelo novo coronavírus:



  • Situação 1: febre + pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais, entre outros) + histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas;

  • Situação 2: febre + pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais, entre outros) + contato próximo de caso suspeito para o novo coronavírus (2019-nCoV) nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas;

  • Situação 3: febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais, entre outros) + contato próximo de caso confirmado de novo coronavírus (2019-nCoV) em laboratório nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

  • O Enfermeiro, junto com sua equipe de enfermagem e/ou recepcionista, deverá realizar a triagem na entrada da unidade, e somente entrará na mesma quem se enquadrar e estiver na classificação como URGÊNCIA, os demais clientes, serão orientados pela equipe a retornar para casa e sobre a importância de se cuidar com relação a contaminação pelo Coronavirus (COVID-19) e será ressaltado a importância do isolamento social (domiciliar).


6.2.2. PACIENTE



  • Deve utilizar máscara cirúrgica a partir do momento da suspeita, sendo encaminhado para consultório privativo para avaliação clínica e, se houver indicação para encaminhamento ao Pronto Socorro, o mesmo, deverá ser mantido neste consultório até chegada da ambulância para realizar a transferência.

  • Deve-se limitar a movimentação do paciente para fora das áreas de isolamento. Se necessário o deslocamento, manter a máscara cirúrgica no paciente durante todo o transporte.

  • Adotar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e visor ou protetor facial) quando forem avaliar o paciente.

  • Os casos leves ou que não necessitem de internação hospitalar devem ser acompanhados pelo serviço de saúde do município, devendo ser instituídas as medidas de precaução/isolamento domiciliar.

  • Destaca-se que em todo o atendimento ao caso suspeito ou confirmado de COVID-19 é de EXTREMA importância a adesão a higienização das mãos nos cinco momentos preconizados pela OMS, a saber: antes do contato com o paciente, antes da realização de procedimento asséptico, após risco de exposição a fluidos corporais, após o contato com o paciente e após o contato com as áreas próximas ao paciente. Lembra-se também que a higienização das mãos pode ser feita com formulação alcoólica ou água e sabonete líquido.


6.2.3  ISOLAMENTO DOMICILIAR



  • Orientar sobre a necessidade de permanecer em afastamento temporário ou quarentena em domicílio, mantendo distância dos demais familiares, além de evitar o compartilhamento de utensílios domésticos. O paciente deve ser isolado em ambiente privativo com ventilação natural e limitar a recepção de contatos externos.

  • Durante a quarentena, sempre que tossir ou espirrar, o paciente deve cobrir a boca e nariz com lenço de papel descartável ou com a face interna do cotovelo dobrado, descartando o lenço pós o uso em lixeira fechada, e realizando a higienização das mãos em seguida. Orientar possíveis contatos quanto à importância da higienização das mãos. O acesso em domicílio deve ser restrito aos trabalhadores da saúde envolvidos no acompanhamento do caso.

  • Manter isolamento, enquanto houver sinais e sintomas clínicos. Casos descartados laboratorialmente, independente dos sintomas, podem ser retirados do isolamento.

  • Orientar que indivíduos próximos que manifestarem sintomas da doença procurem imediatamente o serviço de saúde.


7.CRITÉRIOS PARA CONDUTAS



  • Casos leves: febre (pode estar ausente), fadiga, tosse (seca ou produtiva), anorexia, mialgia, astenia, dor de garganta, congestão nasal ou cefaleia. Possível – diarreia, náusea e vômitos. Idosos e imunodeprimidos podem apresentar sintomas atípicos. Conduta: medicações para sintomas e isolamento domiciliar.

  • Casos graves: sintomas respiratórios, FR ≥ 30, com SPO2 ≤ 90%. Medicação e isolamento hospitalar.

  • Casos gravíssimos: síndrome respiratória aguda grave e choque séptico. Conduta: atendimento em UTI e isolamento hospitalar.

  • Nota: os exames poderão ser solicitados apenas para casos com SRAG ou colaboradores com sinais e sintomas de gripe ou resfriado.



  1. BUSCA ATIVA DE CONTACTANTES


Deverá ser realizada a busca ativa de contatos próximos (familiares, colegas de trabalho, entre outros, conforme investigação) devendo ser orientados sobre a possibilidade de manifestação de sintomas. Orientar aos contactantes que se manifestarem sintomas procurarem imediatamente o serviço de saúde.



  1. FLUXO DE VIGILÂNCIA, NOTIFICAÇÃO DE CASOS E REGISTRO


A doença respiratória aguda pelo 2019-nCoV é uma potencial emergência de saúde pública de importância internacional. Sendo, portanto, um evento de saúde pública imediata (24 horas).


Os casos suspeitos de infecção por 2019-nCoV devem serem discutidos pela equipe técnica da CCIH, VE MUNICIPAL E GVE e notificar de forma imediata pelo profissional de saúde responsável pela VE municipal.


E proceder a coleta do material e encaminhar de acordo com o protocolo de encaminhamento de exames do IAL- GAL (http://www.ial.sp.gov.br/centro-tecnicos/centro-de-virologia/destaque: direita/coronavirus-ncov-2019).


Usar a ficha de notificação individual através do formsus (http://bit.ly/sinan-notificacaoindividual), utilizando o CID10: 34.2 – Infecção por coronavírus de localização não especificada.


Conforme orientação do Boletim da SVS/MS – Boletim Epidemiológico nº 02, Fevereiro 2020 ao preencher o formulário de notificação a unidade de atendimento pública ou privada deverá baixar o pdf da ficha de notificação e enviar eletronicamente para a GVE 26- São João da Boa Vista. 


10 LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE SUPERFÍCIES


Não há uma recomendação diferenciada para a limpeza e desinfecção de superfícies em contato com casos suspeitos ou confirmados pelo novo coronavírus.


Recomenda-se que a limpeza das áreas de isolamento seja concorrente e imediata ou terminal. A limpeza concorrente é aquela realizada diariamente; a limpeza terminal é aquela realizada após a alta, óbito ou transferência do paciente; e a limpeza imediata é aquela realizada em qualquer momento, quando ocorrem sujidades ou contaminação do ambiente e equipamentos com matéria orgânica, mesmo após ter sido realizado a limpeza concorrente.


A desinfecção de superfícies das unidades de isolamento deve ser realizada após a sua limpeza. Os desinfetantes com potencial para desinfecção de superfícies incluem aqueles à base de cloro, álcoois, alguns fenóis e alguns iodóforos e o quaternário de amônio. Sabe-se que os vírus são inativados pelo álcool a 70% e pelo cloro. Portanto, preconiza-se a limpeza das superfícies do isolamento com detergente neutro seguida da desinfecção com uma destas soluções desinfetantes.


No caso da superfície apresentar matéria orgânica visível deve-se inicialmente proceder à retirada do excesso da sujidade com papel/tecido absorvente e posteriormente realizar a limpeza e desinfecção desta. Ressalta-se a necessidade da adoção das medidas de precaução para estes procedimentos.


Deve-se limpar e desinfetar as superfícies que provavelmente estão contaminadas, incluindo aquelas que estão próximas ao paciente (por exemplo, cadeiras, mesas  e superfícies frequentemente tocadas no ambiente de atendimento ao paciente (por exemplo, maçanetas, superfícies de banheiros e bebedouro)


Além disso, não devemos esquecer os equipamentos eletrônicos de múltiplo uso (ex: telefone, computador) de procedimentos de limpeza e desinfecção, especialmente os itens usados pelos pacientes, os usados durante a prestação da assistência ao paciente, e os dispositivos móveis como: verificadores de pressão arterial e oximetria).


                          A desinfecção do ambiente e superfícies dos serviços de saúde deverão ser realizadas diariamente e várias vezes ao dia, portanto, todas as Unidades de Saude deverão contar com profissional de limpeza em tempo integral de funcionamento, para garantir a desinfecção correta e efetiva.


11.TRATAMENTO DE RESÍDUOS


De acordo com o que se sabe até o momento, o novo coronavírus pode ser enquadrado como agente biológico classe de risco 3, seguindo a Classificação de Risco dos Agentes Biológicos, publicada em 2017, pelo Ministério da Saúde, sendo sua transmissão de alto risco individual e moderado risco para a comunidade. Portanto, todos os resíduos provenientes da assistência a pacientes suspeitos ou confirmados de infecção pelo novo coronavírus devem ser enquadrados na categoria A1, conforme Resolução RDC/Anvisa nº 222, de 28 de março de 2018.


Os resíduos devem ser acondicionados, em saco branco leitoso, que devem ser substituídos quando atingirem 2/3 de sua capacidade ou pelo menos uma vez a cada 48 horas e identificados pelo símbolo de substância infectante, com rótulos de fundo brando, desenho e contornos pretos. Os sacos devem estar contidos em recipientes de material lavável, resistente à ruptura, vazamento e tombamento, com tampa provida de sistema de abertura sem contato manual, com cantos arredondados, são recolhidos pela empresa contratada pelo município para o descarte desse material.


 Esses resíduos devem ser tratados antes da disposição final ambientalmente adequada.


12 PROTEÇÃO DOS COLABORADORES


Determinação para o uso de equipamentos de segurança pelos profissionais diretamente envolvidos no atendimento, conforme a seguir:



  1. Utilização de EPI:



  •             Máscara cirúrgica e /ou tecido de tricoline: todos os profissionais designados para a triagem de atendimentos de casos suspeitos ou confirmados como recepção, enfermagem, fisioterapeutas, nutricionista, dentista, Higiene, fonoaudiologas e médicos e demais profissionais atuantes na Secretaria Municipal de Saude seguindo a padronização de Precaução por Contato + Gotícula.

  • Máscara N95: todos os profissionais de assistência e de apoio, que estiver em contato direto com pacientes suspeitos ou confirmados que forem submetidos à procedimento gerador de aerossol.  

  •             Avental descartável: todos os profissionais de assistência e de apoio, que estiver em contato direto ao paciente suspeito ou confirmado que forem submetidos a algum tipo de procedimento.

  •             Óculos de proteção: profissionais que forem realizar procedimentos invasivos ou que estiver sob o risco de exposição à respingos de fluido corporal.

  •             Luva de procedimento: profissionais que forem realizar procedimentos invasivos ou que estiver sob o risco de exposição à fluido corporal, ou em contato com pacientes, objetos e superfícies de casos suspeitos ou confirmados.

  •             Gorro: todos os profissionais de assistência e de apoio, que estiver em contato direto ao paciente suspeito ou confirmado que forem submetidos à procedimento.

  • Utilizar uniforme somente no horário de trabalho. Higienizar o sapato e as roupas separadas das demais.

  • Nota: Ressalta-se a necessidade do uso racional de EPI. As máscaras após o uso, deve ser armazenada em saco plástico e pode ser devidamente guardada para o próximo uso. Lembrando que as máscaras de tecido não possuem data de validade e podem ser utilizadas até a perda de sua integridade e de uso individual.



  1. Higienização de mãos



  •             Higienização frequente das mãos, principalmente antes e depois da assistência ao paciente, após a retirada de EPI, antes e após o contato com objetos inanimados nas proximidades do paciente e antes e após contato com superfícies e ambientes e alimentos.

  •             Para a higiene das mãos ser efetivas, precisam ser higienizadas com as técnicas corretas, podendo utilizar álcool gel na maioria das situações e lavar as mãos quando estiver com sujidade aparente.

  • Os profissionais de saúde, tem a obrigação de orientar e monitorar os pacientes e acompanhantes a realizarem a higienização de mãos.


Realização de treinamento frequentes pela liderança das unidades.



  • Nas entradas das UBS deverão ser disponibilizados álcool em gel a 70 % para desinfecção das mãos de todas as pessoas que entrarem e saírem do serviço de saúde.


Saúde da Mulher


Rastreamento de câncer de colo de útero. De acordo com a recomendações da FOSP sobre o rastreamento de câncer de colo de útero frente à pandemia de COVID 19 para mulheres assintomáticas que buscarem o exame de rotina, que não sejam consideradas como prioridade ás atividades dos profissionais de saúde nas Unidades Básicas de Saúde, até que se tenha o devido controle da disseminação do COVID 19. Portanto, o teste Papanicolau deverá ser oferecido exclusivamente às mulheres cujas queixas ginecológicas só possam ser solucionadas mediante sua realização.


As ações de rastreamento deverão voltar ao normal tão logo a pandemia pelo COVID 19 esteja sob controle (FOSP Oficio n11/2020).


As consultas de pré-natal estão sendo mantidas, seguindo as recomendações da Rede Cegonha.


Pré-natal – Consultas de pré-natal sendo realizados normalmente de acordo com as recomendações da Rede Cegonha,



  • Todas as gestantes deverão entrar na UBS usando máscara, sendo que as sintomáticas deverão usar as máscaras cirúrgicas,

  • O parceiro poderá participar da consulta, uma vez que a Rede Cegonha preconiza o pré-natal do parceiro, demais acompanhantes não serão permitidos,

  •  Nas salas de espera as cadeiras deverão ser intercaladas para manter o distanciamento,

  • Gestante sintomáticas deverão ser atendidas na sala especifica de sintomático respiratório, e o profissional devera se paramentar antes de atende-la,

  • Ao encaminhar gestante sintomática para o PS ou Maternidade, a mesma devera portar encaminhamento especificando o quadro clinico dela (queixa, sintomas...)

  • As gestantes sem queixas obstétricas, porém, sintomáticas devera adiar a consulta de pré-natal, porém, deverão ser monitoradas a cada 24 horas e registrar na planilha de acompanhamento,

  • Os exames laboratoriais e de imagem deverão ser mantidos, assim como os testes rápidos,

  • Aproveitar a vinda da gestante até o serviço de saúde e agendar tudo que for necessário para o mesmo dia (coleta de exame laboratorial, consulta com outros profissionais, US.)

  • Rotina Ginecologia -   Rotina está suspensa, permanecendo somente os atendimentos de urgência;


Saúde da criança


Atendimento de puericultura



  • Agendamentos a cada 30 minutos,

  • Permitido somente um acompanhante,

  • Bebes com idade de 0 a 6 meses terão agendamento para consulta mensal,

  • Exame do pezinho deverão ser realizados entre o 3 ao 5 dia impreterivelmente,

  • Amamentação e verificada durante o atendimento para realização do exame do pezinho, caso a enfermagem ou outro profissional detecte necessidade de apoio profissional, a criança deve ser encaminhada imediatamente para enfermeira (o) responsável e/ou fonoaudióloga.

  • Exame da orelhinha serão realizados no CONDERG e os agendamentos permanecem sendo realizados pelo Departamento Municipal de Saúde (Sala de exames),


Atendimento a criança doente


Agendamento a cada 20 minutos, a partir das 8 horas, 


Saúde do Adulto e Idoso



  • Renovação de receitas para medicamentos de uso contínuo (hipertensão, diabetes, anticoncepcional), poderão ser solicitadas na recepção, não havendo necessidade de consulta médica para seu fornecimento; o profissional responsável pela triagem deverá anotar todas informações precisas (nome do cliente, telefone para contato, nome da medicação, mg, quantidades por dia...).


Saúde Bucal



  • Atendimento diariamente das 8:00 às 17:00h somente urgências.

  • Apenas o Centro Odontológico com atendimento. 

  • Rodízio dos funcionários com equipe de 3 (Cirurgião Dentista + auxiliar + recepcionista).


Transporte:



  • Lavagem dos carros, higienização diária ou sempre que necessário;


Observações para equipe:


 Proibido aglomerações nos setores (cozinha; recepção, corredores);



  • Evitar trânsito desnecessários nos corredores;

  • Obrigatório uso de EPI durante o expediente;

  • Somente ter contato com paciente quando extremamente necessário;

  • Remanejar funcionários de limpeza de outros setores para o setor saúde;

  • Revezamento de horários dos funcionários;

  • Descarte adequados dos materiais contaminados.


Referências Bibliográficas


Secretaria de Estado da Saúde, Governo do Estado de São Paulo, Fundação Oncocentro de São Paulo (FOSP), Oficio 11/2020, São Paulo, 24 de marco de 2020.


HISTÓRICO DE ATUALIZAÇÃO
























Rev.


 



Item Alterado



Descritivo da alteração



Responsável



16/03/2020



 


Elaborado


 



Elaboração



Juliana Maria Mastri Ferreira


Maria Aparecida de Souza Limonge



20/05/2020 a 09/06/2020



Revisado



Revisão



Elica Cancian Feltran


Juliana M. Mastri Ferreira


Maria Ap. de Sousa Limonge


Silvia Regina Fonsato


tags:
• saúde
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
143

Prefeitura de Divinolândia - Rua XV de Novembro, 261 - Centro - Divinolândia – SP - CEP 13780-000 - Fone: (19)3663-8100 - CNPJ 46.435.921/0001-88

© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados